ENTREVISTAS

LETÍCIA RECHEMBAK, DO SATC CRICIÚMA SC: UM VERDADEIRO CASO DE AMOR AO BASQUETE E AO SEU ESTADO, SC

.:: leticia_rechembak_do_satc_criciuma_sc_um_verdadeiro_caso_de_amor_ao_basquete_e_ao_seu_estado_sc_40540_1_pt.jpg ::.

Letícia, 16 anos, natural de Joinville SC, que defende o SATC Criciúma, fala de seu amor ao basquete, ao seu estado e suas conquistas

            Nosso país é realmente incrível ou um verdadeiro paradoxo, pelo menos, quando se fala de esportes. Sediou Campeonato Mundial de Futebol, Jogos Olímpicos e outras grandes competições de âmbito mundial. Para isso, teve que concorrer com grandes metrópoles mundiais e provar que teria condições para isso.

            O curioso é que quando falamos em Basquete, que é o proposito desta página, ficamos indignamos totalmente; afinal a nossa seleção feminina ostenta o título de Campeã Mundial, em conquista no ano de 1994, na Austrália.  Magnifico! Vindo a seguir, a conquista de duas Medalhas Olímpicas, simplesmente sensacional!

            E depois?

            Paramos no tempo?

            Que benefícios trouxeram a realização das Olimpíadas no Rio de Janeiro?

            Esta última pergunta é a mais fácil de responder: NADA.

Pode ser que a cidade Maravilhosa, o Brasil, ficaram bem vistos no mundo todo. Mas a nossa questão que é o Basquete, não teve ajuda em nada, e é bem fácil de ver, quem acompanha nossa modalidade sabe muito bem.

COMEÇAR NA BASE

            Agora posso dizer que a estrutura no nosso esporte não comete esse pleonasmo; afinal infelizmente, nosso basquete não começa nas categorias menores com todo apoio que deveria ter.

            Em anos passados, nossas seleções de base, deixaram de disputar competições, como Sul-americanos, por exemplo; em outras situações, nossas crianças se encontram no aeroporto para viajar na disputa de um campeonato..

            Tudo isso, no país que foi recentemente, sede da competição mais importante do mundo. E depois também, há quem cobra resultados do nosso esporte...

SOLUÇÕES

Proporcionar condições e meios para que o esporte comece na Escola. Não tardaria muito em ver uma mudança efetivamente na história de nossa Educação, aliás, se todo governante e autoridades descobrirem que o caminho mais fácil para educar crianças de adolescentes, é através do esporte, nosso país será uma potência, não só no esporte, mas no ser humano em geral.  

SANTA CATARINA

            Falar em um belo trabalho a favor do Basquete, é falar do belo estado de Santa Catarina. Apesar de nunca ter feito alguma cobertura neste estado sulino, sempre tive e tenho maravilhosos contatos com a gente trabalhadora do basquete catarinense. Já fiz matérias com catarinenses como com o treinador da seleção brasileira feminina sub-16, em 2013, Júlio Patrício, onde tive a oportunidade de fazer mais uma cobertura internacional. Recebo e agradeço muito a Federação Catarinense, por sempre me enviar matérias ilustrando bem mais o meu humilde site.

LETÍCIA RECHEMBAK

            Agora quero falar só de soluções, boas notícias, esperança para um basquete melhor. Talvez muitos brasileiros não saibam, o belo trabalho que é feito em Santa Catarina. Boa estrutura, bons campeonatos, belo trabalho nas categorias de base. Como exemplo disso, quero falar de uma menina, que conheci no ano passado, quando fazia cobertura dos treinamentos da seleção brasileira sub-15, na cidade paulista de Americana. Depois dessa etapa, tenho acompanhado a trajetória que com bastante trabalho, veio a consequência de ser vitoriosa. Ela é Leticia Rechembak, 16 anos, natural de Joinville, SC.

 Iniciou sua carreira aos 12 anos em um projeto social, em Joinville, seu primeiro treinador foi o Professor Alcides Porcincula, passou pelo clube Sociedade Ginástica de Joinville onde foi cestinha do sub 12 no estadual em 2015 , destaque do sub 15 no estadual em 2017, cestinha e destaque do estadual sub 15 2018 pelo seu clube atual a SATC de Criciúma e também cestinha e destaque do campeonato sul brasileiro de seleções, eleita melhor defensora do torneio internacional de basquete em Florianópolis, convocada para as eliminatórias da seleção brasileira e recentemente cestinha do estadual sub 17 , sua equipe atual é a SATC de Criciúma e sua treinadora é a Luana Minotto. 

 Letícia já foi convocada 4 vezes pra seleção catarinense na última vez ano passado foi destaque e cestinha da seleção catarinense, foi 2 anos consecutivos campeã estadual 3 vezes cestinha do campeonato estadual e 2 vezes destaque do estado, eleita melhor defensora do torneio internacional, e mesmo assim não é reconhecida como deveria ser!

 Letícia, fale um pouco de sua carreira, desde quando começou, quem mais a incentivou. Em quem inspirou

 Comecei jogando pela fundação Padre Luiz Fachini em Joinville, comecei aos 11 anos como uma brincadeira e acabei me apaixonando por este esporte fascinante que é o basquetebol! Meus pais são meus maiores incentivadores! Sempre! Não tenho uma inspiração individual, me inspiro em várias pessoas, atletas que através do esporte possibilitam outras crianças a sonharem dentro deste meio

  O que estas conquistas, representam para você?

 Representam muita felicidade! Pois treinei e batalhei muito por cada uma delas!

  Como você se sente jogando em Santa Catarina?

 Santa Catarina é um estado muito forte! E me sinto realizada jogando aqui, já recebi muitas propostas para fora, porém confesso que meu coração bate mais forte pelo meu estado pela minha linda e bela Santa Catarina.

 Um sonho realizado

Todas as minhas conquistas individuais

 Um sonho a realizar

Continuar representando o meu estado.

 Qual foi sua conquista que mais a deixou feliz?

A minha conquista que me deixou mais feliz foi quando eu fui cestinha e MVP da Seleção Catarinense no Sul Brasileiro.

Parabéns ao basquete de Santa Catarina por sua estrutura, por seus profissionais e por levar o Basquete a sério contribuindo assim, por um futuro melhor da nossa modalidade.

Meus agradecimentos especiais a atleta Letícia, por sua dedicação, seu amor ao basquete e a sua família que apoia o esporte.

Meus agradecimentos ao meu amigo, que me ajudou nesta matéria, Edivaldo Rechembak por ser o grande incentivador.

A você Leticia, meus desejos que segure todos os rebotes de sua vida, arme com sabedoria e arremesse seus sonhos que, com certeza, serão convertidos em lances de felicidades.

Obs.: O Brasil não precisa sediar Olimpíadas, precisa dar apoio às categorias de base, incentivar a Escola, para que seja o berço da nossa modalidade. Veja o exemplo de Santa Catarina, da Letícia, da sua família e de todos os que trabalham a favor do nosso Basquete.

    • Você é nosso visitante número
      7.502.673

    • FOTOS & FOTOS

    • MARCOS DO CARMO

      Chua Marcos